Diversos Voluntariado

Trabalho voluntário na África: um relato pessoal

11 ago 2017

Estou vivendo a experiência de fazer um trabalho voluntário na África. Tenho recebido muitas perguntas sobre esse tipo de atitude. Vou contar como foi minha busca e o que tenho refletido sobre esse tipo de viagem desde que cheguei aqui.

Do meu ponto de vista, o voluntariado é bem diferente de uma viagem “sabática,” apesar de ser muito difundido dessa forma ao redor do mundo.

Esse tipo de trabalho em países menos desenvolvidos, especialmente na África e Ásia, existe há muito tempo. No exterior é muito comum encontrar propagandas sobre ajuda humanitária em países africanos. Quando morei na Europa, de 2006 a 2011, me interessei por esse tipo de ação, mas tinha a impressão de ser algo distante e difícil de realizar. Talvez pela falta de informação disponível na época.

Ou seja, era algo que eu tinha em mente há bastante tempo. Não começou no mês passado.

Quando me deu o “click”, ou melhor, uma luz, de realizar esse sonho eu comecei a procurar, intensamente.

Percebi que nos últimos tempos o “Turismo Voluntário” se tornou mais visível. Relutei para aceitar esse termo, mas é isso mesmo. Existem pontos negativos e a favor. Tudo depende do trabalho realizado pela instituição em que você escolher e sua atitude durante o tempo que passar lá. E, por favor, isso será sua principal tarefa de casa.

Minha percepção mudou muito desde que cheguei ao Malawi. Veja bem, a indústria do turismo voluntário movimenta US$ 2 bilhões ao ano. Você já parou para pensar pra onde vai todo esse dinheiro? Antes de seguir com a certeza de que quer saber mais e participar disso, deve se perguntar por que você se vê realizando um voluntariado. Seria pelos “pobrezinhos”? Seria para alimentar seu ego e suas redes sociais se colocando como uma salvadora privilegiada? Pense sobre isso. Talvez outra parte da sua tarefa de casa seja entender melhor sobre a cultura de colonialismo a que esses países, assim como o Brasil, esteve submetida há um tempo não muito distante. Adicionei esse parágrafo depois de muita reflexão, porque não quero propagar algo humanamente incorreto. Acho que a ética deve estar acima de tudo sempre, principalmente de nossas vontades que na maioria das vezes são tão superficiais.

Sim, é uma viagem, você vai conhecer novos lugares, muitos paradisíacos. Essa é a parte do turismo. Por outro lado, você paga para trabalhar, voluntariamente, em lugares em situações bem diferentes da realidade que você tem em casa. Acordar cedo, dormir em uma cama bem menos confortável que a sua, cozinhar sua própria refeição, lavar as suas roupas… Trabalhar em projetos com pouca evolução de uma perspectiva ocidental (o que pode ser frustrante). E o mais importante: estar disposto a se abrir e entender as reais necessidades da comunidade em que você escolheu se inserir, incluindo ainda o desafio de também ser aceito.

Recomendo se fazer a seguinte pergunta: Porque você pensa que sua presença em um local desprovido de recursos valerá mais do que uma doação em dinheiro, por exemplo? Imagine a seguinte situação: você ficou sabendo de uma missão em um país atingido por um terremoto onde sua atividade será construir novas escolas para a comunidade local. Mas qual seu conhecimento em construção? Marcenaria? Tente perceber a real necessidade de você ir até lá. Uma campanha de financiamento coletivo poderia fazer um grande efeito e impactar muito mais gerando empregos e garantindo a eficiência das estruturas construídas. Faça uma busca por Barbie Saviour e você entenderá mais sobre isso.

Como mencionei, minha visão mudou bastante desde que cheguei. Diariamente tento conhecer a comunidade, entender suas reais necessidades e como posso ajudar para que possam desenvolver suas habilidades de vida. Tenho observado muito o comportamento de outros voluntários e percebo que grande parte do sucesso do projeto depende de cada um que escolhe fazer parte.  Encontrei muitos voluntários que se sentiram frustrados por não atuarem diretamente em suas áreas de interesse.

Minha busca

Tentei escapar o quanto pude de agências que faturam com taxas absurdas para vender esses “pacotes turísticos”. Sem mencionar ~nomes~ mas fiquei perplexa com o preço de uma nova famosinha no mercado brasileiro.

Quando decidi, ainda tinha uma intenção ingênua de “ajudar” sem saber muito bem como. Então parti do básico: o que eu gosto e amo fazer. Tenho uma grande afeição por pessoas e percebi que tenho jeito com crianças pequenas. Então minha busca começou com “trabalho voluntário com crianças”.

Não tem tanto segredo. Quando vamos viajar para um lugar novo, procuramos comentários sobre os hotéis, informações úteis sobre o país, como viajar em segurança e etc. Ok, tenho uma estrada percorrida nesse aspecto, mas pra quem quer viajar, viver fora ou conhecer sobre outros países é essencial saber usar o Mr. Google e acreditar nos outros tantos viajantes que compartilham suas experiências nas redes. Eu demorei quase um mês até decidir onde iria e quando decidi pronto. Não teve choradeira e milhões de dúvidas. Claro que senti insegurança ao me imaginar cruzando fronteiras na África, mas é normal e até gostoso sentir isso, né?

A vida de viajante não permite sofrência, isso é coisa de quem não consegue sair do lugar.

A vida de voluntária permite surpresas que te fazem crescer e enxergar verdades obscuras da vida.

Vou listar alguns sites que vi pelo meio do caminho e outros que auxiliarão caso decida seguir nessa jornada. Não utilizei nenhum, mas pode ser útil para quem não sabe por onde começar. Eu decidi assim: Tipo de ajuda, envolvimento com a comunidade > Continente > País > credibilidade do site, informações disponíveis etc.

https://qz.com/665764/instagrams-white-savior-barbie-neatly-captures-whats-wrong-with-voluntourism-in-africa/ English, com outras  referência sobre o tema “turismo voluntário .

www.workaway.com ótima plataforma para encontrar trabalho e voluntariado em muitos países.

www.worldpackers.com  similar ao workaway, aconselho para quem quer viajar e gastar pouco, não necessariamente “voluntariar”

https://qz.com/665764/instagrams-white-savior-barbie-neatly-captures-whats-wrong-with-voluntourism-in-africa/ English, com outras referências sobre o tema.

www.thesmallthings.org – ONG com projetos na Tanzania. Promovem o “voluntariado de forma ética”

www.vwbinternational.org

www.volunteersbase.com

www.volunteeringsolutions.com

* AIESEC para menores de 30 anos que não é o meu caso… MR Google aí porque vi relatos maravilhosos.

Recomendo procurar pelas palavras chaves no Google ( volunteer abroad – volunteer in Africa – volunteer jobs in Asia. ETC) e assim encontrar muitas outras. Daí é só fazer aquela investigação digna de stalker de Facebook que você vai descobrir mais sobre as organizações.

Resumo dos meus gastos de viagem

Passagem R$ 3500 + R$ 2900 para a ONG que inclui: 30 dias de hospedagem, café da manhã e almoço durante a semana, lavagem de roupas e algumas aulas de Chichewa, o idioma local (zikomo, zikomo ). E o dinheiro gasto na ONG com hospedagem, além de cobrir nossos custos, é direcionado para os projetos na comunidade. Os gastos semanais para o jantar ( por conta do voluntário)  e comer uma bolachinha (sorry cariocas) com pasta de amendoim das boas, mais umas bananas, uns tomates, ovos, mandioca totalizam uns US$ 13. O câmbio da moeda local é US$ 1 = MKW 730.  *Gastos para o vilarejo em que estou, Lifuwu Village, Malawi .

Vale lembrar que a maioria dos países na África requer visto de entrada que é pago ao chegar, no aeroporto. O visto do Malawi foi US$75 e vale por 30 dias. Posso renovar e ficar até três meses pagando uma pequena taxa extra.

ONG em que estou: www.help2kids.com

Reflita bastante sobre seu propósito e boa viagem!

Tionana,

Natalia Boechat – atualmente voluntariando no Malawi.

10.08.2017

ps.: como tudo começou – https://www.vakinha.com.br/vaquinha/nata-pelo-mundo

Comente via Facebook
Deixe seu Comentário
Quer que sua foto apareça no comentário? Clique aqui

6 Comentários
  1. Bianca Fehr
    11/09/17 - 12h56

    Amei seus relatos e dicas. Parabéns pela sua sensibilidade em se doar. Espero fazer o mesmo assim que me for possível. Se todos se doassem só um pouquinho o mundo não seria o mesmo. Que Deus te proteja e dê saúde para continuar esse trabalho. Abraços.

  2. 05/10/17 - 04h45

    Four to five glasses of this juice should be consumed each week to find the desired result. Use these circumspectly however, as they may lower blood sugar, which is an unhealthy effect in men whose blood sugar are properly balanced.

  3. 18/01/18 - 23h18

    I visit daily some web sites and sites to read content, however
    this blog offers feature based articles.

  4. 29/01/18 - 15h53

    Link exchange is nothing eⅼѕе Ьut іt іs only
    placing the ⲟther person’s webpage link on your page at ssuitable pⅼace and
    other person wil ɑlso do similar in support of you.

  5. Ana Naccarato
    09/03/18 - 11h19

    Oi Natalia, tudo bem?
    Queria muito falar mais com você sobre sua viagem, estou como você mencionou no início do texto, em busca faz tempo por um meio de trabalho voluntario na África. Mas gostaria de bater um papo pra entender mais, você me ajuda?

    Obrigada!

  6. Julia Rodrigues
    09/03/18 - 23h48

    EI Natália. Tudo bem? Estou há um tempo buscando alguma forma de fazer um trabalho na Àfrica, sempre foi meu sonho de vida. No entanto, o que mais se vê de oferta com facilidade são esses pacotes ‘turistas voluntários’ que na minha cabeça não é o tipo de voluntariado que eu realmente gostaria de fazer. Gostaria muito de poder conversar com você pra saber mais detalhes sobre essa sua experiência. Muito obrigada desde já. Julia

Topo
Top Posts